Make your own free website on Tripod.com

ENFERMAGEM

Escola de Enfermagem Lauriston Job Lane

Home
Enfermagem
Eventos
Estatíticas
Contato
Links
Homenagem
 

De acordo com Mott (2000), o curso de enfermagem criado no Hospital Samaritano em 1896 sob o regime de internato foi considerado o primeiro a adotar o sistema de ensino nightingaleano no Brasil pois, enfermeiras inglesas, ao trabalharem no hospital, ensinavam o ofício para outras mulheres, em sua grande maioria também inglesas ou filhas de ingleses residentes no Brasil.

Posteriormente chamada de Escola de Enfermagem Lauriston Job Lane (1959), eram médicos os que ministravam as aulas. Essa instituição de ensino funcionou de 1959 a 1971.

Originalmente, o Hospital Samaritano contratou enfermeiras inglesas formadas pela Escola de Florence Nightingale as quais disseminaram seus conhecimentos junto às internas, mulheres abnegadas ao ofício, chamadas de nurses ou matrons quando assumiam posições mais elevadas ou cuja vivência hospitalar fosse considerada relevante. Apesar do provável pioneirismo quanto à implantação do modelo nIghtingaleano, essa antiga instituição de ensino da enfermagem não conseguiu notoriedade no Brasil, resultando uma omissão de sua história até praticamente os dias de hoje. Clássicos da literatura, entretanto, afirmam que a primeira escola de enfermagem a adaptar o modelo nightingaleano no Brasil foi a Escola de Enfermagem Ana Néri, em 1923.

A Escola de Enfermagem do Hospital Samaritano, em seu anonimato, permaneceu à margem da historiografia oficial da enfermagem brasileira, fator explicado, talvez, pelo fato de tratar-se de uma escola criada em hospital privado, com orientação não católica e fora da capital da República da época, vale dizer, o Rio de Janeiro, fato histórico ignorado por muitos pesquisadores da Enfermagem (OGUISSO, 2005). Isto posto, a reflexão acerca da temática da enfermagem em seu aspecto histórico ainda exige desmistificações. Alguns desses aspectos podem ser avaliados nos depoimentos das alunas da Escola Lauriston Job Lane. Desses, a compleição física é um tema que desperta interesse, como permite entrever a fala de uma das depoentes quando esta afirma que: ...o grupo de estágio da ortopedia, três alunas, era muito pequeno nós éramos divididos pelo porte físico. Os maiores, mais corpulentos e fortes, ficavam na enfermaria masculina com pacientes mais pesados, e os menores na feminina. Ou quando relata: Quando nós chegamos no hospital havia um padrão de enfermagem, como tipo físico, tinha que ter no mínimo um metro e setenta de altura, ser de cor branca e não se admitia homens.

Gênero, Memória e Narrativas – ST 41 "Mulheres que Cuidam: Depoimentos Orais das Ex-alunas da Escola de Enfermagem Lauriston Job Lane". Saiba mais...

História da Enfermagem no Hospital Samaritano. Saiba mais...

Festival litero-musical do Centro Acadêmico - Escola de Enfermagem Lauriston Job Lane 23/maio/1962

BASE DA LEGISLAÇÃO FEDERAL DO BRASIL

DEC 54.930/1964 (DECRETO DO EXECUTIVO) 11/04/1964
Situação: REVOGADO
Chefe de Governo: CASTELLO BRANCO
Origem: EXECUTIVO
Fonte: DOFC 25 11 1964 010755 4
Link: Texto integral não disponível
Ementa: CONCEDE RECONHECIMENTO A ESCOLA DE ENFERMAGEM "LAURISTON JOB LANE", DA SOCIEDADE HOSPITAL SAMARITANO DE SAO PAULO.
Referenda: ENSINO SUPERIOR.
Alteração: REVOGADO PELO DEC. S/N - 25/04/1991.


Correlação:

Interpretação:
Veto:
Assunto:
Classificação de Direito:
Observação:

 

 

P Antes de imprimir, pense em sua responsabilidade com o MEIO AMBIENTE !